Tor des Géants – 4.º Dia – 15 Setembro 2010

 

22:27 (Hora em Itália) – Gonçalo Silva prepara-se para partir de Gressoney após algumas horas de descanso e deixa algumas palavras para os apoiantes e seguidores neste blog, que os têm apoiado neste enorme desafio, o Tor de Géants (330km’s com 24 000 metros de desnível acumulado). Depois de uma chegada a Gressoney muito desgastados, como dizia Gonçalo “com a energia a zero” e Pedro teve ainda um problema num pé, que minimizou fazendo uma imobilização extra, umas massagens, uma refeição quente e algumas horas de sono reposeram a energia para continuar. Gonçalo fazia um agradecimento público a todos os que têm enviado mensagens de apoio para ambos, da Madeira e outros atletas continentais conhecidos, que têm sido cruciais para motivação nos momentos mais dificeis.

Videos da prova

18:27:23 (Hora em Itália) – Corta a meta o Vencedor absoluto do Tor Des Géants, ULRICH GROSS. Foram 80:27:23 para percorrer os 334,9km e 23470 metros de desnível positivo, num trail inédito e que vem sendo um verdadeiro sucesso.

16:30:43 – Chegada a Gressoney para Gonçalo Silva, Pedro Alves controla 25 minutos depois. Final do 4.º Sector da prova e um dos mais dificeis, os atletas acabam de vencer mais 53,5km de prova e 4510 metros de desnível alcançando um total de 203,5km percorridos e 14 237 metros de desnível vencidos.

Em comparação e para os seguidores deste blog que conhecem a Madeira, os atletas neste sector fizeram um trajecto equivalente a Funchal – PortoMoniz (50km) e subiram em desnível positivo um pouco mais do que a soma de três subidas entre o Funchal e o Poiso (1410metros de altitude) – uma verdadeira dureza!

12:16 (Hora em Itláia) – Gonçalo e Pedro passam juntos em mais um controlo intermédio.

1:58:06  – Pedro Alves controla em Etoiles du berger.

1:39:58 (Hora em Itália) – Gonçalo Silva controla em Etoiles du berger.

Ambos os atletas do Clube Aventura ultrapassam a metade da prova somando 167,1 km e 7025 metros de desnível positivo.

Tor des Géants – 3.º Dia – 14 Setembro 2010

21:21 (Hora em Itália) – Após algumas horas de descanso e com a frescura da noite Gonçalo e Pedro partem para o 4.º sector do Tor des Géants, mais uma dura etapa da prova, com 53,5 km de extensão e 4510 metros de desnível positivo, passando por 4 vezes muito próximo dos 2500 metros de altitude.

15:53:16 (Hora em Itália) – Gonçalo Silva chega  a Donnas, final do terceiro sector da prova. Pedro Alves atrasou-se um pouco relativamente ao colega e chega 10 minutos depois. Neste sector os atletas tiveram muito próximo dos 3000 metros de altitude, ao passar pelo Col  Fenetre (2840 metros) na única subida relevante, com 1341 metros em 15,5 km de extensão . Ambos juntam mais 44 kms a distância percorrida, que agora totaliza 15okm e 9727 metros de desnível positivo acumulado.

10:37 (Hora em Itália) – Seguindo juntos Gonçalo Silva e Pedro Alves controlam em Chardonney, gastando 7:37 a fazer 26,9 km.

2:58 (Hora em Itália) – O terceiro dia de trail começou bem cedo, por volta das 3:00 da madrugada Gonçalo Silva e Pedro Alves fizeram-se ao caminho, saindo de Cognes onde fizeram uma paragem para reabastecer e dormir um pouco. O próximo controlo horário tinha pela frente , 26,9 km até Chardonney e 44 km até ao final do segundo sector em Donnas.

Mapa da Prova

Cronometragem dos Atletas

Distâncias e Desníveis

Tor des Géants – 2.º Dia – 13 Setembro 2010

21:54 (hora em Itália) – Gonçalo Silva e Pedro Alves chegam ao fim do segundo sector da prova, em Cogne . Hoje foi um dia muito duro, Gonçalo recuperou um pouco do cansaço e frio que lhe afectou no primeiro dia e sentiu-se muito bem, mas referiu que o percurso foi dificil, com descidas e subidas acentuadas, por trilhos muito irregulares, a maioria de cascalheira. Pedro Alves sentiu-se algo desgastado, mas controlou o andamento junto com o seu colega de equipa até ao controlo final do segundo sector.

Os atletas já percorreram 106km…faltam ainda 224km e 4 dias de gestão do esforço para concluir este enorme desafio.

A organização tem estado muito bem, quer na sinalização do percurso quer no apoio aos atletas, fazendo uma festa em cada final de sector, onde atribui aos atletas que finalizam uma medalha ..Gonçalo e Pedro já somam duas medalhas…

2:48 (hora em Itália) – Após 4 horas descanso Gonçalo Silva e Pedro Alves partiram para o segundo sector da prova, passaram juntos no controlo horário em Rheme Notre Dame pelas 7:25 cumprindo a média geral feita pela maioria dos atletas.

Mapa da Prova

Cronometragem

Distâncias e desníveis entre pontos

Tor des Géants – Começou o Desafio – 12 Setembro 2010

 23:00 – Gonçalo Silva e Pedro Alves descansam um pouco em Valgrisenche, tentando umas horas de sono, após cumprirem  o 1.º sector da prova, com 49,7 km, e contam arrancar antes do tempo limite que são as 7 am de 13 Set.

22:25:35 – Pedro Alves chega ao controlo horário em Valgrisenche.

22:18:49 – Gonçalo Silva chega ao controlo horário em Valgrisenche.

10:00:00 (Hora em Itália) – Partida do Tor des Géants em Courmayeur

Tabela de distâncias e desníveis

Gonçalo Silva e Pedro Alves esta manhã em Courmayeur antes da partida para o Tor Des Géants. Os atletas já superaram o primeiro controlo horário em La Thuile por volta das 13:36 e seguem no ritmo definido.

Mais informações neste blog por voltas das 23h30, com o balanço do primeiro dia de prova.

Seguir os atletas (Pedro Alves peitoral 277 e Gonçalo Silva 278)

Cronometragem nos controlos

Tor des Géants – endurance trail

No próximo domingo pelas 10 horas, Gonçalo Silva e Pedro Alves irão estar novamente juntos na partida daquela que será sem dúvida o desafio mais duro que se propuseram a fazer até ao momento. Os atletas do Clube Aventura da Madeira, irão participar na primeira edição do Tor des Géants, um endurance trail que irá dar a volta completa ao Vale de Aosta em Itália ao pé dos picos mais altos da Europa.


Com partida e meta na vila de Courmayeur, apenas 355 atletas estarão à partida deste duro desafio, que terão que completar um circuito de 330km’s com 24 000 metros de desnível acumulado numa variação de altitude entre os 300 e os 3300 metros de altitude. Apesar de estar montada numa logística de 7 sectores,  a prova tem como tempo limite máximo 150 horas, ou seja 6 dias consecutivos de esforço obrigando aos atletas um gestão cuidada de ritmo e esforço, com as poucas horas de dormida. Com início neste domingo ás 10 horas, os atletas terão então até as 16 horas do sábado seguinte para terminar a prova.

Col Finestra

O percurso terá partes muito técnicas, com passagens perigosas num verdadeiro meio alpino em trilhos rochosos expostos e com inclinações muito acentuadas, que irão condicionar e muito o ritmo, sendo que a marcha lenta será o único ritmo possível em algumas partes. A tecnicidade do terreno não irá ser a única dificuldade dos atletas, pois as condições meteorológicas não serão as mais favoráveis, esperando-se chuva nas altitudes mais baixas e mesmo neve nas mais altas, que é habitual nesta altura do ano naquela zona dos Alpes. A organização obriga o uso de equipamento adequado ao possível mau tempo de montanha, e recomenda fortemente que os atletas levem consigo o road-book disponibilizado pela organização na inscrição, bem como um GPS com o percurso da prova, pois a sinalização será mínima e com a neve poderá não estar visível.

Passagem do Col Loson (3296m) ao km 42

GONÇALO SILVA (dorsal 278) : “A motivação é enorme, apesar de algumas preocupações, relativamente ás condições meteorológicas bem com à gestão da prova, pois com a experiência no trail de Marrocos, o acordar para o segundo dia e partir para a segunda etapa foi muito doloroso.. o que nos faz tentar imaginar ao fim do quinto dia como irá ser!! Inicialmente pensamos em 80 km’s diários com repouso entre a meia-noite e as 5 da manhã, possibilitando chegar no sábado de manhã… mas também já pensamos fazer 140 km’s non stop, dormir bem e partir para mais 50 km’s a um ritmo lento, dormir novamente muito bem e então tentar os últimos 140 km’s sem parar!! Enfim, vamos ver como corre os km’s iniciais, os sinais do corpo e estar atento sempre ás previsões meteorológicas… e tentar chegar novamente a Courmayeur, independentemente do tempo e classificação, que é esse o nosso objectivo. Vai correr tudo bem… ”

PEDRO ALVES (dorsal 277) : ” A nossa experiência vai apenas a metade da distância pelo ultra trail do Monte Branco, por isso, os 330 km assustam um pouco (para não dizer muito) visto exigir uma gestão de esforço bem diferente, bem mais cuidada! Para além dos habituais problemas musculares e articulares que surgem, teremos que ter em atenção aos possíveis problemas gastricos que possam surgir e limitar e muito o nosso rendimento, visto que serão muitos dias com uma alimentação muito agressiva ao estômago. O objectivo é apenas terminar, tanto eu como o Gonçalo fizemos uma preparação cuidada que juntamente com a nossa relativa experiência, pensamos estar à altura do desafio e confiantes em conseguir mais uma vez o desejado título de Finisher… ”

A prova pode ser seguida online através do site da prova, contudo o Clube Aventura da Madeira tentará todos os dias recolher algumas impressões dos nossos atletas e publicar aqui no blog.

VÍDEO DA PROVA

SITE DA PROVA

ACOMPANHAMENTO ONLINE DOS ATLETAS