«

»

Ago 29

Miguel Gonçalves na 8ª edição do UTMB 2010

O atleta do Clube Aventura da Madeira Miguel Gonçalves, no passado fim-de-semana fez a sua segunda tentativa para terminar a dura prova The North Face Ultra Trail du Mont Blanc (UTMB). Esta edição foi marcada pelo mau tempo que se fez sentir no maciço montanhoso naquela zona, que obrigou a organização a tomar a difícil decisão de anular parte do percurso do UTMB e cancelar também o percurso da TDS, tendo arranjando como alternativa a selecção de apenas 1000 atletas dos dois percursos para partir no segundo dia para um percurso praticamente semelhante ao do CCC. Aqui fica o relato do atleta :

“Dado que o ano passado não tive cabeça para terminar esta prova senti-me na obrigação de tentar novamente e desta vez com sucesso. À chegada a Chamonix a previsão relativamente às condições meteorológicas não era animadora mas havia sempre a esperança de que não fosse nada além de uns chuviscos. No dia da prova a organização enviou uma mensagem a avisar que iria chover e fazer frio para ninguém se esquecer de levar material adequado. O céu estava encoberto por um manto cinzento e a chuva já tinha caído ao longo de toda a noite e manha.

Às 18:30 teve inicio a prova no centro de Chamonix, a primeira etapa seria chegar a Les Houches onde iria ter a primeira de muitas subidas, a chuva apareceu com alguma intensidade e pensei para mim mesmo que se chovesse assim durante muito tempo muito poucos voltariam a Chamonix pelo seu próprio pé. Os primeiros  km serviram para testar e ajustar todo o equipamento de maneira a não me incomodar à medida que o cansaço aumentasse. A subida de Les Houches até ao Col de Voza foi feita num ritmo moderado muito por causa da ainda grande concentraçao de atletas que dificultava a progressão, depois de atingir o topo meti o frontal e comecei a descer já mais rapidamente e sentia-me muito bem, nem o terreno muito escorregadio me faziam abrandar o passo e ainda ultrapassei muita gente até St Gervais.

Nesse  “checkpoint” achei muito estranho estar muita gente, poucos segundos depois percebi porque, ouvi o speaker dizer que a prova tinha sido anulada devido ao mau tempo que iríamos encontrar mais à frente no Col do Bonhomme. Para dizer a verdade não fiquei muito triste porque naquelas condições iria ser um verdadeiro massacre. Lá fomos encaminhados para um comboio e mais tarde para um autocarro que nos iria levar de volta a Chamonix. Depois durante essa noite a organização enviou uma mensagem para todos os atletas a informar que a prova iria prosseguir mas a partir de Courmayeur, ou seja seria efectuada apenas metade do percurso original. Essa mensagem como enviaram ás 3 da manha só a vi de manhã impossibilitando-me de retomar a prova. Como se diz lá em França “c’est la vie”, fica a promessa de voltar um dia para tentar novamente, mas não será tão cedo.”